sábado, 6 de novembro de 2010

Relativo a omenino

Ele se foi.
Ontem omenino se foi.
Vai jogar bola...empinar pipa...
brincar...
com outras meninas
de saia-rodada
de cabelo solto ao vento.

Omenino foi desenterrar um tesouro
que nao lhe cabe.
Mas se atreve a correr na rua da infancia
ainda presente
e ter como presente
o mundo inteiro.

Ontem omenino partiu em sua jornada
deixou nos meus braços o cão
e no coração
o "vem morar comigo".
O homem que é meu
omenino levou pensando em voltar.
E na janela o cata-vento é violento.

Dos meus fragmentos de amor
o doce foi o que ficou
no peito aberto do poeta.
o fogo pegou a casa do palhaço
e o que guardo agora
é o corpo que o abriga.

Mas omenino é de estrada.
Nao tem medo...
Nao tem casa...
E por isso o terceiro
e mais implacavel
dessa ligação.

Um comentário:

  1. Que inspiração Gui, vai em frente, és poetisa!

    Beijinhos,
    Ana Martins
    Ave Sem Asas

    ResponderExcluir